Grand Duke Besta the Smokerous of St Winifred by Winchelsea
Domingo, 29 de Janeiro de 2006

Alen...tudo


Um raio de Sol, que restou do Inverno


Brilhando nos dias do acaso…


O Verão no Inverno, a Lua ao contrário…


A tua mão, fazendo-se minha, no regato seco


Subindo o tempo, escutando o vento.


Um povo calado, calmo, fechado.


O mundo às costas, janelas abertas.


Um barco na areia…


Retorno de viagens ao centro de um sonho


Compondo etapas duma terra árida.


Um monte, no meio de parte nenhuma


Brilhando sereno nesse fim do mundo…


Tempo de viagens, tempo de miragens


Neste país de parte nenhuma…


Abrindo o teu mapa, no meio do tempo


A seca queimando os pulmões da terra…


Searas, no fim da viagem, planícies


O suor limpando a face, na aragem quente


Roupas brancas, trapos negros


Calor, no meio de parte nenhuma,


Escrevemos lonjuras na poeira antiga.


Aqui, vive-se longe de tudo, longe do Norte,


Na fronteira, no deserto, no fim da viagem…

publicado por wildbeast às 22:44
link do post | diz mal ou bem | favorito
|
1 comentário:
De Anónimo a 30 de Janeiro de 2006 às 15:05
Só que trás o Alentejo no coração consegue vê-lo assim... um bêjoemmep
</a>
(mailto:emmep@sapo.pt)


Comentar post