Grand Duke Besta the Smokerous of St Winifred by Winchelsea
Sábado, 21 de Outubro de 2006

Bailado duma sombra

 


Música feérica

Ritmo diabólico.

Música cigana

Um flamenco d’antanho…

 

À volta da fogueira

Dancei, esta noite…

A dança do último combate,

Cantando, soluços na voz…

 

De manhã, de manhãzinha…

Parti errante, pelos caminhos da vida.

Sem casa, sem pátria…

Indiferente…

 

Por leito, a terra dura,

O meu tecto, o universo…

Meu agasalho, o vento,

Meus pensamentos… mistério.

 

Prados, vales, encostas,

Rios, montes e lagos,

Não me pára o trovão

Não me limita, a fronteira…

 

Para o ano, se eu faltar,

Talvez a alma te mande…

Canta-me então, à noitinha,

Que bem longe te ouvirei…

 

Canta-me um canto cigano,

Baila, roda, em mil voltas,

Bate palmas, gira, gira…

E contigo… dançarei…


publicado por wildbeast às 02:27
link do post | diz mal ou bem | favorito
|
9 comentários:
De gegecas a 21 de Outubro de 2006 às 19:33
Valeu a pena a espera.............que poema mais lindo................mãe da minha alma, se eu soubesse assim escrever.
Mas não sei e talvez por isso mesmo o aprecie mais.
Oa meus parabéns.
A propósito, gosto do "verificar ottografia".


De gegecas a 21 de Outubro de 2006 às 19:44
Ortografia


De blasfémia a 22 de Outubro de 2006 às 02:07
Sabe bem voltar a ler-te. As tuas palavras sabem a vento, a danças nocturnas... não esperes tanto tempo para escrever mais, senão, inflamas saudades...


De Lisa a 22 de Outubro de 2006 às 19:06
(...)Prados, vales, encostas,

Rios, montes e lagos,

Não me pára o trovão

Não me limita, a fronteira… (...)

Excelente! Um beijo, Cavaleiro!





De minizinha a 23 de Outubro de 2006 às 17:50
:)

Sabe tão bem ler-te morcãozinho, já tinha sóidadesssssssssssss!!!!!!!!!!!!

Lindo, lindo, lindo, como nos habituaste!!!!!!!

Este bailado, até parece que estamos a vê-lo.

Sei que não é suposto retirar nada de um texto mas ...

"Para o ano, se eu faltar,
Talvez a alma te mande…
Canta-me então, à noitinha,
Que bem longe te ouvirei…"

(rais parta que escreves bem como o caraças)

Beijos e abracinho apertado para ti.

(cuida-te, precisamos de ti).







De ferrus a 22 de Novembro de 2006 às 10:51
E Olé!!!!
Um abraço de excelência, tal como o teu escrito!


De taty a 29 de Novembro de 2006 às 11:10
k poemas giros... perdi-me ao ler!
continua está girissimo!!! tb costumo escrever, alias ando a tentar editar um livro...
bjinhus grandes e se poderes passa no meu blog, n é de poemas mas de certeza k vais gostar.

http://miandtatymagination.blogspot.com/

taty


De Ditte a 19 de Dezembro de 2006 às 08:05
Que belo poema! Li-o e reli-o ao som de " une valse a mille temps" do J-Brel.
Tenho saudades tuas apesar de todos os pesares, que nada são, pois tu sabes que eu sou emoção e muito pouca razão, no entanto resta-me a suficiente para te saudar com saudade.
Desejo-te um Natal o melhor possivel e Que o Novo Ano te traga o que mais desejares.
Mais palavras para quê? Sou tua amiga, já se vê, é uma amizade que ficou enraizada, e ainda bem.
Spassiba amigo por existires.
Bjs da
Granny
http://colinhodagranny.blogs.sapo.pt/


De gegecas a 21 de Dezembro de 2006 às 16:28
Só para Desejar um Bom Natal, sobretudo se for passado com aqueles que te amam e que por ti sejam amados. Tudo de bom para ti e para , pq não, para todos nós.
E para o ano cá estarei para te ler.


Comentar post

cusca à vontade

 

Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23

25
26
27
28
29
30
31


palavras fugidas

. . .

...

É Natal

Beija-flor III

Beija-flor II

Beija-flor I

A vida... escrita

Tormenta de existir

A dor da tristeza

Até que o sol rompa

gavetas da cómoda

Maio 2008

Março 2008

Dezembro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

por onde descanso a alma

Foros GratisHostingphp nukeAnuncios Clasificados GratisLibreria